Câmara Municipal de Maceió vai adotar piso salarial dos jornalistas

O presidente da Câmara Municipal de Maceió, Kelmann Vieira (PSDB), anunciou na tarde desta quinta-feira (27), que o Poder Legislativo vai instituir o piso salarial dos jornalistas para os profissionais que atuam na Diretoria de Comunicação da Casa. Um projeto de lei deve ser apresentado em agosto, quando os trabalhos legislativos serão retomados após o recesso de julho.

O anúncio foi feito durante a última sessão ordinária do semestre, quando os vereadores da Capital receberam uma comitiva de jornalistas, categoria que está em greve desde a terça-feira passada. “O jornalismo é uma das nossas grandes ferramentas de relacionamento entre as instituições, Poder Público e o povo”, declarou o presidente do Legislativo municipal.

“Além disso, buscar valorizar todos os profissionais da Câmara foi um dos objetivos que tracei quando assumi a Presidência da Casa, tanto que na próxima folha funcionários efetivos já devem receber seus salários com aumento de até 10%”, complementou.

Os jornalistas deflagraram o movimento paredista, após impasse nas negociações quanto à data-base da categoria. As empresas de comunicação de Alagoas apresentaram como proposta a redução do valor do piso salarial, que atualmente é de um pouco mais de R$ 3.500, em 40%, além do fim de algumas gratificações. A proposta causou indignação e acabou estimulando a participação efetiva dos profissionais na greve.

Segundo o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal), o movimento tem uma adesão de 95%. Kelmann se mostrou sensível à luta dos jornalistas e afirmou que espera que haja um entendimento rápido que ponha fim à greve, já que o movimento não é bom pra ninguém.

Com a medida, a Câmara Municipal de Maceió, através do presidente faz história, ao ser a primeira instituição pública a adotar o piso salarial dos jornalistas. Para os representantes da categoria, a decisão tem tudo para ser a primeira ação real de valorização da categoria no mercado institucional.

 

Fonte: Assessoria

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *