Jornalista mexicano encontrado morto e com sinais de tortura

O jornalista mexicano Rogelio Barragán foi encontrado morto e com sinais de tortura dentro de um veículo, no Estado de Morelos, no centro do México, país considerado dos mais perigosos para o exercício do jornalismo.

O corpo apareceu na terça-feira à tarde, dentro de um automóvel abandonado em Zacatepec, a sul da capital mexicana, depois de o jornalista ter sido sequestrado um dia antes, informaram hoje fontes jornalísticas.

“Descansa em paz, nosso companheiro Rogelio. Que Deus te tenha na sua santa glória. Um forte abraço até ao céu, companheiro”, escreveu o meio Guerrero al Instante, na sua conta na rede social Facebook, do qual Barragán era diretor.

“O jornalista Rogelio Barragán, diretor de Guerrero al Instante, foi assassinado. O seu corpo foi encontrado há algumas horas e com sinais de tortura, amarrado e com sinais de tortura no interior de um veículo abandonado no Estado de Morelos”, segundo a Associação Mexicana de Jornalistas Deslocados e Agredidos.

Vários meios locais detalharam que o jornalista foi encontrado com golpes e um tiro na cabeça.

A Comissão Nacional dos Direitos Humanos do México (CNDH), em comunicado, lamentou hoje o homicídio do jornalista e exigiu à procuradoria estadual uma “investigação exaustiva” que não “ignore o trabalho jornalístico da vítima”.

No seu texto, a CNDH considerou que, “neste contexto de alta perigosidade para o exercício jornalístico no país, torna-se muito necessário o compromisso permanente das autoridades na prevenção e investigação das agressões contra jornalistas”.

O assassínio de Barragán encheu de mensagens de apoio e condolências a página Guerrero al Instante, um meio digital que conta com mais de 110 mil seguidores no Facebook.

Com o de Barragán, já são pelo menos 11 os jornalistas mexicanos assassinados desde o início da presidência de Andrés Manuel López Obrador em 10 de dezembro último, isto é, em menos de nove meses.

Durante o mandato do Presidente Enrique Pena Nieto (2012-2018) foram assassinados 47 jornalistas no México, nove dos quais em 2018.

Fonte: Lusa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *